segunda-feira, 29 de dezembro de 2008

Evolução

No Futuro
Quando o homem gravar na própria alma
Os parágrafos luminosos da Divina Lei,
O companheiro não repreenderá o companheiro,
O irmão não denunciará outro irmão.
O cárcere cerrará suas portas,
Os tribunais quedarão em silêncio.
Canhões serão convertidos em arados,
Homens de armas volverão à sementeira do solo.
O ódio será expulso do mundo,
As baionetas repousarão,
As máquinas não vomitarão chamas para o incêndio e para a morte,
Mas cuidarão pacificamente do progresso planetário.
A justiça será ultrapassada pelo amor.
Os filhos da fé não somente serão justos,
Mas bons, profundamente bons.
A prece constituir-se-á de alegria e louvor
E as casas de oração
estarão consagradas ao trabalho sublime da fraternidade suprema.
A pregação da Lei
Viverá nos atos e pensamentos de todos,
Porque o Cordeiro de Deus
Terá transformado o coração de cada homem
Em tabernáculo de luz eterna,
Em que o seu Reino Divino
Resplandecerá para sempre.
EMMANUEL"Pão Nosso", 41, FCXavier, FEB

Jorge de Capadócia - Fernanda Abreu

Jorge
Jorge reggae
Jorge xote
Jorge soul
Jorge
Jorge samba
Jorge funk
Jorge n'roll
Jorge sentou praça na cavalaria...
e eu estou feliz porque eu também sou da sua companhia...
Eu estou vestida com as roupas
e as armas de jorge....
Para que meus inimigos tenham pés
e não me alcancem...
Para que meus inimigos tenham mãos
e não me toquem...
Para que meus inimigos tenham olhos
e não me vejam...
E nem mesmo um pensamento eles possam ter
para me fazerem mal...
Porque eu estou vestida com as roupas
e as armas de Jorge...
Salve Jorge...
Salve Jorge...
Salve Jorge...
Armas de fogo o meu corpo não alcançarão...
Facas e espadas se quebrem
sem o meu corpo tocar...
Cordas e correntes arrebentem
sem o meu corpo amarrar...
Porque eu estou vestida com as roupas
e as armas de Jorge...
Oxossi aylodá yamalabê
Yambelequê yorô
Odé matá coroná.

Salve 2009!!!

Vinícius

Desejo primeiro que você ame,E que amando, também seja amado.E que se não for, seja breve em esquecer.E que esquecendo, não guarde mágoa.Desejo, pois, que não seja assim,Mas se for, saiba ser sem desesperar.Desejo também que tenha amigos,Que mesmo maus e inconseqüentes,Sejam corajosos e fiéis,E que pelo menos num delesVocê possa confiar sem duvidar.E porque a vida é assim,Desejo ainda que você tenha inimigos.Nem muitos, nem poucos,Mas na medida exata para que, algumas vezes,Você se interpele a respeitoDe suas próprias certezas.E que entre eles, haja pelo menos um que seja justo,Para que você não se sinta demasiado seguro.Desejo depois que você seja útil,Mas não insubstituível.E que nos maus momentos,Quando não restar mais nada,Essa utilidade seja suficiente para manter você de pé.

Feliz 2009!!!!

"Quem teve a idéia de cortar o tempo em fatias, a que se deu o nome de ano, foi um indivíduo genial. Industrializou a esperança, fazendo-a chegar ao limite da exaustão. Doze meses dá para qualquer ser humano cansar e entregar os pontos. Aí entra o milagre da renovação e tudo começa outra vez, com outro número e outra vontade de acreditar, que daqui pra diante será diferente."
Carlos Drummond de Andrade

terça-feira, 23 de dezembro de 2008

I CHING

61 - A SINCERIDADE
A honestidade e a integridade são as bases das relações duradouras. É necessário deixar de lado todas as desconfianças e preconceitos, compreender e se fazer compreender, respeitar e se fazer respeitar. Esse é o caminho a ser seguido.

Epaô- Ebaba!!!

Òrìsànlá ou Obàtálá, "O Grande Orixá" ou "O Rei do Pano Branco". Foi o primeiro a ser criado por Olodumaré, o deus supremo. Tinha um caráter bastante obstinado e independente.Oxalá foi encarregado por Olodumaré de criar o mundo com o poder de sugerir (àbà) e o de realizar (àse). Para cumprir sua missão, antes da partida, Olodumaré entregou-lhe o "saco da criação". O poder que lhe fora confiado não o dispensava, entretanto de submeter-se a certas regras e de respeitar diversas obrigações como os outros orixás. Uma história de Ifá nos conta como. Em razão de seu caráter altivo, ele se recusou fazer alguns sacrifícios e oferendas a Bará, antes de iniciar sua viagem para criar o mundo.Oxalá pôs-se a caminho apoiado num grande cajado de estanho, seu òpá osorò ou paxorô, cajado para fazer cerimônias. No momento de ultrapassar a porta do Além, encontrou Exu-Bará, que, entre as suas múltiplas obrigações, tinha a de fiscalizar as comunicações entre os dois mundos. Exu-Bará descontente com a recusa do Grande Orixá em fazer as oferendas prescritas, vingou-se o fazendo sentir uma sede intensa. Oxalá, para matar sua sede, não teve outro recurso senão o de furar com seu paxorô, a casca do tronco de um dendezeiro. Um líquido refrescante dele escorreu: era o vinho de palma. Ele bebeu-o ávida e abundantemente. Ficou bêbado, e não sabia mais onde estava e caiu adormecido. Veio então Olófin-Odùduà, criado por Olodumaré depois de Oxalá e o maior rival deste. Vendo o Grande Orixá adormecido, roubou-lhe o "saco da criação", dirigiu-se à presença de Olodumaré para mostrar-lhe o seu achado e lhe contar em que estado se encontrava Oxalá. Olodumaré exclamou: "Se ele está neste estado, vá você, Odùduà! Vá criar o mundo!" Odùduà saiu assim do Além e encontrou diante de uma extensão ilimitada de água. Deixou cair a substância marrom contida no "saco da criação". Era terra. Formou-se, então, um montículo que ultrapassou a superfície das águas. Aí, ele colocou uma galinha cujos pés tinham cinco garras. Esta começou a arranhar e a espalhar a terra sobre a superfície das águas. Onde ciscava, cobria as águas, e a terra ia se alargando cada vez mais, o que em iorubá se diz ilè nfè, expressão que deu origem ao nome da cidade de Ilê Ifé. Odùduà aí se estabeleceu, seguido pelos outros orixás, e tornou-se assim o rei da terra.Quando Oxalá acordou não mais encontrou ao seu lado o "saco da criação". Despeitado, voltou a Olodumaré. Este, como castigo pela sua embriaguez, proibiu ao Grande Orixá, assim como aos outros de sua família, os orixás funfun, ou "orixás brancos", beber vinho de palma e mesmo usar azeite-de-dendê. Confiou-lhe, entretanto, como consolo, a tarefa de modelar no barro o corpo dos seres humanos, aos quais ele, Olodumaré, insuflaria a vida.Por essa razão, Oxalá também é chamado de Alámòrere, o "proprietário da boa argila". Pôs-se a modelar o corpo dos homens, mas não levava muito a sério a proibição de beber vinho de palma e, nos dias em que se excedia, os homens saiam de suas mãos contrafeitas, deformadas, capengas, corcundas. Alguns, retirados do forno antes da hora, saíam mal cozidos e suas cores tornavam-se tristemente pálidas: eram os albinos. Todas as pessoas que entram nessas tristes categorias são-lhe consagradas e tornam-se adoradoras de Orixalá.Mais tarde, quando Orixalá e Odùduà reencontraram-se, eles discutiram e se bateram com furor. A lembrança dessas discórdias é conservadas nas histórias de Ifá. As relações tempestuosas entre divindades podem ser consideradas como transposição ao domínio religioso de fatos históricos antigos. A rivalidade entre os deuses dessas lendas seria fabulação de fatos mais ou menos reais, concernentes à fundação da cidade de Ifé, tida como o "berço da civilização iorubá e do resto do mundo".
Texto extraído do site www.oxum.com.br

quarta-feira, 17 de dezembro de 2008

I CHING

57 - A SUAVIDADE

Quando o julgamento é lúcido, as dúvidas desaparecem. A delicadeza e a persuasão podem ser poderosas contra a força bruta. Você precisa mudar para reagir diante da dificuldade. A passividade prejudica a solução. Não deixe de agir quando necessário.

terça-feira, 16 de dezembro de 2008

I CHING

24 - O RETORNO

Após um período de trevas, a luz volta a brilhar. Agora é tempo de renovação, não tenha pressa, confie no curso natural, é hora de por em prática novos projetos. Reacenda a chama do otimismo que sempre esteve dentro de você.

segunda-feira, 15 de dezembro de 2008

Natal

"So this is Christmas And what have you done?
Another year over, And a new one just begun
And so this is Christmas, I hope you have fun
The near and the dear one
The old and the young.
A very Merry Christmas And a Happy New Year
Let's hope it's a good one
Without any fear
And so this is Christmas
For weak and for strong
For rich and the poor ones
The road is so long
And so Happy Christmas
For black and for white
For yellow and red ones
Let's stop all the fight.
A very Merry Christmas
And a Happy New Year
Let's hope it's a good one
Without any fear
So this is Christmas
And what have you done?
Another year over
And a new one just begun
And so Happy Christmas
I hope you have fun
The near and the dear one
The old and the young.
A very Merry Christmas
And a Happy New Year
Let's hope it's a good one
Without any fear
War is over!
If you want it War is over!
War is over, Now!"
John Lennon

Oração de São Francisco de Assis

"Senhor, fazei-me instrumento de vossa paz.
Onde houver ódio, que eu leve o amor;
Onde houver ofensa, que eu leve o perdão;
Onde houver discórdia, que eu leve a união;
Onde houver dúvida, que eu leve a fé;
Onde houver erro, que eu leve a verdade;
Onde houver desespero, que eu leve a esperança;
Onde houver tristeza, que eu leve a alegria;
Onde houver trevas, que eu leve a luz.
Ó Mestre, Fazei que eu procure mais, consolar, que ser consolado;
compreender, que ser compreendido;
amar, que ser amado. Pois, é dando que se recebe,
é perdoando que se é perdoado e é morrendo que se vive para a vida eterna."

segunda-feira, 8 de dezembro de 2008

Infinito Particular

Eis o melhor e o pior de mim...
O meu termômetro, o meu quilate...
Vem, cara, me retrate...
Não é impossível...
Eu não sou difícil de ler...
Faça sua parte...
Eu sou daqui, eu não sou de Marte...
Vem, cara, me repara...
Não vê, tá na cara, sou porta bandeira de mim...
Só não se perca ao entrar, no meu infinito particular...
Em alguns instantes sou pequenina e também gigante...
Vem, cara, se declara, o mundo é portátil, pra quem não tem nada a esconder...
Olha minha cara...
É só mistério, não tem segredo...
Vem cá, não tenha medo...
A água é potável, daqui você pode beber...
Só não se perca ao entrar...
No meu infinito particular...
Marisa Monte

Ei- eu; ora-iê-iê-io!!!

"Quando todos os orixás chegaram a terra, organizaram reuniões onde as mulheres não eram admitidas. Oxum ficou aborrecida por ser posta de lado e não poder participar de todas as deliberações. Para se vingar, tornou as mulheres estéreis e impediu que as atividades desenvolvidas pelos deuses chegassem a resultados favoráveis. Desesperados, os orixás dirigiram-se a Olodumaré e explicaram-lhe que as coisas iam mal sobre a terra, apesar das decisões que tomavam nas assembléias. Olodumaré perguntou se Oxum participava das reuniões e os orixás responderam que não. Olodumaré explicou-lhe então que, sem a presença de Oxum e de seu poder sobre a fecundidade, nenhum de seus empreendimentos poderia dar certo. De volta a terra, os orixás convidaram Oxum para participar de seus trabalhos, o que acabou por aceitar depois de muito lhe rogarem. Em seguida, as mulheres tornaram-se fecundas e todos os projetos obtiveram felizes resultados".Diz uma lenda que Oxum passeava na floresta brincando os animais, que são seus amigos, desfilando seu ar coquete e sensual. Foi assim que Ogum - homem rude, bruto e violento - a avistou. Diante da beleza e graça de Oxum, Ogum sentiu que se apaixonava por Oxum e correu para ela. Declarando seu desejando e implorando seu amor. Mas ela só tinha olhos para Xangô, por quem estava enamorada. Assustada com a atitude de Ogum começou a correr pela mata, fugindo de seu pretendente que a seguia de perto. Desesperada se atirou nas água de um rio, cuja corrente a arrastou rapidamente para bem longe de Ogum, mas ameaçava afoga-la. Levada pela correnteza, chegou até a desembocadura, onde encontrou Iemanjá. Compadecida, a senhora mãe das águas a protegeu e presenteou Oxum com aquele rio para ela pudesse viver. Ainda lhe presenteou com corais, jóias e cauris. Assim, Oxum encantou o seu amado Xangô com a sua riqueza e beleza e passou a viver no rio, que hoje leva o seu nome, tornando-se amiga inseparável de Iemanjá."
Texto extraído do site www.oxum.com.br

sexta-feira, 5 de dezembro de 2008

Eterno Aprendiz...

Eu fico com a pureza da resposta das crianças, é a vida, é bonita e é bonita...
Viver, e não ter a vergonha de ser feliz....
Cantar e cantar e cantar, a beleza de ser um eterno aprendiz...
Ah meu Deus eu sei, eu sei que a vida devia ser bem melhor e será... mas isso não impede que eu repita: É bonita, é bonita e é bonita
Viver, e não ter a vergonha de ser feliz, cantar e cantar e cantar a beleza de ser um eterno aprendiz...
Ah meu Deus eu sei, eu sei que a vida devia ser bem melhor e será, mas isso não impede que eu repita: É bonita, é bonita e é bonita
E a vida, e a vida o que é diga lá, meu irmão, ela é a batida de um coração, ela é uma doce ilusão, ê ô, mas e a vida, ela é maravida ou é sofrimento, ela é alegria ou lamento, o que é, o que é, meu irmão?
Há quem fale que a vida da gente é um nada no mundo, é uma gota, é um tempo que nem dá um segundo, há quem fale que é um divino mistério profundo, é o sopro do Criador, numa atitude repleta de amor...
Você diz que é luta e prazer, ele diz que a vida e viver, ela diz que melhor é morrer pois amada não é e o verbo é sofrer.... Eu só sei que confio na moça e na moça eu ponho a força da fé.... Somos nós que fazemos a vida, como der ou puder ou quiser....
Sempre desejada, por mais que esteja errada, ninguém quer a morte, só saúde e sorte....
E a pergunta roda, e a cabeça agita..... Eu fico com a pureza da resposta das crianças: É a vida, é bonita e é bonita....
Gonzaguinha

quinta-feira, 4 de dezembro de 2008

Epaeio - Oiá!!!

Oiá é a divindade dos ventos, das tempestades e do rio Níger que, em iorubá, chama-se Odò-Oya . Foi a primeira mulher de Xangô e tinha um temperamento ardente e impetuoso. Conta uma lenda que Xangô enviou-a em missão na terra dos baribas, a fim de buscar um preparado que, uma vez ingerido, lhe permitiria lançar fogo e chamas pela boca e pelo nariz. Oiá, desobedecendo às instruções do esposo, experimentou esse preparado, tornando-se também capaz de cuspir fogo, para grande desgosto de Xangô, que desejava guardar só para si esse terrível poder. Oiá foi ao entanto, a única das mulheres de Xangô que, ao final do seu reinado, segui-o na sua fuga parta Tapá. E, quando Xangô recolheu-se para debaixo da terra, em Kossô ela fez o mesmo em Irá.Antes de se tornar mulher de Xangô, Oiá tinha vivido com Ogum. A aparência do deus do ferro e dos ferreiros causou-lhe menos efeito que a elegância o garbo e o brilho do deus do trovão. Ela fugiu com Xangô, e Ogum, enfurecido, resolveu enfrentar seu rival; mas este último foi à procura de Olodumaré, o deus supremo, para lhe confessar que havia ofendido a Ogum. Olodumaré interveio junto ao amante traído e recomendou-lhe que perdoasse a afronta. E explicou-lhe: "Você, Ogum, é mais velho do que Xangô! Se, como mais velho, deseja preservar sua dignidade aos olhos de Xangô e aos dos outros orixás, você não deve se aborrecer nem brigar: deve renunciar a Oiá sem recriminações". Mas Ogum não foi sensível a esse apelo, dirigido aos sentimentos de indulgência. Não se resignou tão calmamente assim, lançou-se à perseguição dos fugitivos e, trocou golpes de varas mágicas com a mulher infiel, que foi, então, dividida em nove partes. Este número 09, ligado a Oiá, está na origem de seu nome Iansã.
Texto extraído do site http://www.oxum.com.br/

FAROL

Caminha, placidamente, em meio ao ruído e a pressa e pensa na paz que pode existir no silêncio. Mantém boas relações com todas as pessoas, a qualquer preço, menos o da tua abdicação. Fala a tua verdade com serenidade e clareza e escuta os outros, mesmos os enfadonhos e os ignorantes, porque também eles têm a sua história. Evita as pessoas espalhafatosas e agressivas; elas causam vexames ao espírito. Se te comparas com os outros, podes tornar-se vaidoso ou amargo, porque encontrarás sempre pessoas de mais ou menos importância do que tu. Deleita-te com as tuas realizações, bem como os teus planos. Conserva-te interessado em tua própria carreira, por mais humilde que ela seja; é um bem real em meio às fortunas transitórias do tempo. Sê cauteloso em teus negócios, porque o mundo está cheio de trapaças, mas não permitas que isso te faça cego às virtudes; muitas pessoas lutam em prol de altos ideais e, por toda a parte, a vida está plena de heroísmo. Sê tu mesmo. Especialmente, não finjas afeições, nem sejas cínico no amor, porque, apesar de toda a aridez e desencanto, ele é perene como a relva. Aceita, com indulgência o conselho da idade, renunciando com graça às coisas da mocidade. Alimenta a fortidão de espírito, para que ele te sirva de escudo contra uma súbita desventura. Não te angusties, porém, ante coisas imaginárias. Muitos medos nascem da fadiga e da solidão. À parte uma saudável disciplina, sê bondoso contigo mesmo. És um filho do universo, não menos que as árvores e as estrelas; tens o direito de estar aqui. E, quer compreendas isso, quer não, o universo se vai expandindo como deve. Vive, portanto, em paz com Deus, seja qual for a idéia que D’Êle tenhas, e sejam quais forem, teus labores e aspirações na ruidosa confusão da vida, procura ficar em paz com tua alma. Com todas as imposturas, lidas servis e sonhos desfeitos, este é ainda, um belo mundo. Sê cauteloso. “Esforça-te por ser feliz.”
Mensagem encontrada na Igreja de Saint Paul, Baltimore, USA.

Se ...

Se és capaz de manter a tua calma quando todo o mundo ao teu redor já a perdeu e te culpa;
De crer em ti quando estão todos duvidando, e para esses, no entanto, achar uma desculpa;
Se és capaz de esperar sem te desesperares, ou, enganado, não mentir ao mentiroso, ou, sendo odiado, sempre ao ódio te esquivares e não parecer bom demais, nem pretensioso;
Se és capaz de pensar - sem que a isso só te atires;
Se encontrando a desgraça e o triunfo, conseguires tratar da mesma forma a esses dois impostores;
Se és capaz de sofrer a dor de ver mudadas em armadilhas as verdades que disseste e as coisas, por que deste a vida, estraçalhadas e refazê-las com o bem pouco que te reste;
Se és capaz de arriscar numa única parada tudo quanto ganhaste em toda a tua vida e perder e, ao perder, sem nunca dizer nada, resignado, tornar ao ponto de partida;
De forçar coração, nervos, músculos, tudo... a dar seja o que for que neles ainda existe e a persistir assim quando, exaustos, contudo, resta a vontade em ti que ainda ordena: "Persiste!";
Se és capaz de, entre a plebe, não te corromperes e, entre reis, não perder a naturalidade e de amigos, quer bons, quer maus, te defenderes;
Se a todos podes ser de alguma utilidade e se és capaz de dar, segundo por segundo ao minuto fatal todo o valor e brilho, tua é a terra com tudo o que existe no mundo e o que mais - tu serás um homem, meu filho!
Rudyard Kipling

Tédio

Descobri que estou entendiado, sem entusiasmo. Você disse para nos aceitarmos do jeito que somos. Não consigo aceitar a vida, sabendo que, ...