terça-feira, 31 de agosto de 2010

Tempo de Homenagens

Cinquenta e sete anos de uma produtiva vida profissional tornam árdua, a tarefa de discorrer sobre ela. O professor, o policial e o advogado, com certeza, tinham suas histórias para contar, algumas divertidíssimas, outras marcantes, mas todas com a marca registrada dele: a dedicação.

Os livros importados sobre Biologia, os slides dos conteúdos para apresentar nas aulas, feitos na antiga “Casa Masson” e o carinho dos ex-alunos quando o encontravam na rua, são algumas das recordações da época do Professor Sobbé.

Graduado em “História Natural”, lecionou no Colégio Ruy Barbosa e não pensava muito no salário ao preparar as aulas. Gostava muito de ser professor e da matéria que lecionava, acompanhando, inclusive, a evolução do desempenho alunos, pois dizia que só assim poderia ver se era um bom professor.

Posteriormente, as atividades como policial civil, o absorveram por completo, mas sempre tinha tempo para os programas sobre a vida animal na televisão, seus prediletos, e toda a vez que encontrava um ex-aluno na rua, sorria satisfeito quando o cumprimentavam dizendo: Professor!

Na Polícia Civil ingressou aos 18 anos, mas foi como titular da Delegacia de Furtos que se tornou conhecido. O Delegado Sobbé obteve a titulação de Bacharel em Ciências Jurídicas e Sociais em 1971, pela UNISINOS.

Defendia o inquérito policial e uma instituição policial forte e autônoma e trabalhou muito por isso, mesmo depois de aposentado. Obteve o respeito e o reconhecimento de seus colegas de profissão. Exerceu a chefia do Departamento de Trânsito, do Departamento de Polícia Metropolitana e foi o Chefe de Polícia do Estado. Foi titular da 3ª Delegacia, da Delegacia de Furtos e da antiga "Delegacia de Estrangeiros" e foi professor de Legislação de Trânsito, na Escola de Polícia.


Em 1983 pediu a aposentadoria e, a partir daí, iniciou a fase do Advogado Frederico Eduardo Sobbé. Como não poderia deixar de ser, seus primeiros clientes, foram policiais aposentados, atendidos por ele em uma ação relativa aos proventos de aposentadoria, a quem chamava, carinhosamente, de “meus velhinhos”.
Anos depois, voltou a lecionar na Escola de Polícia. Nesta oportunidade, a disciplina de Direito Processual Penal.
O início como advogado ocorreu em uma sala emprestada de um amigo, na Rua Uruguai. Anos depois, comprou o próprio escritório na Rua Andrade Neves. Trabalhou enquanto pode. Repetia sempre: “O trabalho engrandece o homem.”

Pai, daqui a quinze dias, incrivelmente, vai completar um ano!!! Um ano que estamos tentando apreender e aceitar que há tempo para tudo debaixo do céu, como diz o Eclesiastes, 3.

Tempos difíceis. Tempos de deixar de abraçar. De qualquer forma, me sinto abençoada por ter um pai como tu!!! Te amo! Que Deus esteja sempre contigo!

Agnes

quinta-feira, 26 de agosto de 2010

Algumas conclusões óbvias do que li e ouvi em busca de algumas respostas

1. Orar ao Criador de todas as coisas, todos os dias;
2. Vigiar meus pensamentos todos os minutos, para que eu não me impressione tanto com as coisas que não são próprias de um espírito imortal filho de Deus;
3. Ter sempre presente a importância do conhecimento, pois este é o verdadeiro patrimônio e a verdadeira conquista;
4. O mal é criação do homem e está em mim o poder para lhe dar crédito ou não;
5. Ainda sobre o mal, devo levar em consideração, que se Deus é infinitamente justo e bom, que se a luz e a verdade só vêm dele, o mal durará apenas e tão somente, o tempo necessário para atender os objetivos estabelecidos por Ele, depois disso, retornará ao seu nada original;
6. Só o que vem de Deus é real;
7. A gratidão emociona, devo lembrar de agradecer;
8. Somos todos espíritos imortais em aprendizado, isso me inclui;
9. Só o que importa da experiência de encarnados são as lições apreendidas, pois como toda a experiência, ela é apenas uma fração de um todo. Não importando quanto tempo esta experiência dure, se uma semana, um mês ou a encarnação inteira, ainda assim, ela será apenas um episódio ocorrido dentro de um contexto maior, pois somos todos imortais;
10. É muito importante apreender a ser manso e pacífico, pois nos remete à realidade de que a única verdade vem de Deus e não de qualquer de nós, logo não precisamos guerrear uns com os outros para prevalecer o que imaginamos certo para determinada situação, até porque, só Deus sabe de tudo, inclusive do que escondemos até de nós mesmos.

A Carta - Djavan

"... Ah, segurei o meu pranto para transformar em canto
E para meu espanto minha voz desfez os nós
Que me apertavam tanto
E já sem a corda no pescoço, sem as grades na janela
E sem o peso das algemas na mão
Eu encontrei a chave dessa cela
Devorei o meu problema e engoli a solução
Ah, se todo o mundo pudesse saber
Como é fácil viver fora dessa prisão
E descobrisse que a tristeza tem fim
E a felicidade pode ser simples como um aperto de mão
Entendeu?

É esse o vírus que eu sugiro que você contraia
Na procura pela cura da loucura,
Quem tiver cabeça dura vai morrer na praia."

quinta-feira, 19 de agosto de 2010

Vem pra cá

Não ver você, não tem explicação
é caminhar pela escuridão
ficar a fim e não poder falar
querer o sim e não se acostumar
com a solidão, o medo de amar
estranho vazio no seu olhar
eu tento achar em algum lugar
o amor que você deixou pra trás
vem pra cá ...
(Papas da Língua)

terça-feira, 3 de agosto de 2010

A todos os ditadores, opressores, etc.

Apesar De Você
Chico Buarque



Hoje você é quem manda
Falou, tá falado
Não tem discussão, não.
A minha gente hoje anda
Falando de lado e olhando pro chão
Viu?
Você que inventou esse Estado
Inventou de inventar
Toda escuridão
Você que inventou o pecado
Esqueceu-se de inventar o perdão

Apesar de você
amanhã há de ser outro dia
Eu pergunto a você onde vai se esconder
Da enorme euforia?
Como vai proibir
Quando o galo insistir em cantar?
Água nova brotando
E a gente se amando sem parar

Quando chegar o momento
Esse meu sofrimento
Vou cobrar com juros. Juro!
Todo esse amor reprimido,
Esse grito contido,
Esse samba no escuro

Você que inventou a tristeza
Ora tenha a fineza
de "desinventar"
Você vai pagar, e é dobrado,
Cada lágrima rolada
Nesse meu penar

Apesar de você
Amanhã há de ser outro dia.
Ainda pago pra ver
O jardim florescer
Qual você não queria

Você vai se amargar
Vendo o dia raiar
Sem lhe pedir licença

E eu vou morrer de rir
E esse dia há de vir
antes do que você pensa
Apesar de você

Apesar de você
Amanhã há de ser outro dia
Você vai ter que ver
A manhã renascer
E esbanjar poesia

Como vai se explicar
Vendo o céu clarear, de repente,
Impunemente?
Como vai abafar
Nosso coro a cantar,
Na sua frente.
Apesar de você
Apesar de você
Amanhã há de ser outro dia.
Você vai se dar mal, etc e tal,
La, laiá, la laiá, la laiá??


(Não sei porque, mas acordei com essa música na cabeça hoje..... kkkkkk)

Tédio

Descobri que estou entendiado, sem entusiasmo. Você disse para nos aceitarmos do jeito que somos. Não consigo aceitar a vida, sabendo que, ...