sábado, 22 de outubro de 2011

Beleza de cada um

Quando se fala em beleza, logo se imagina a pessoa, o semblante, o corpo, enfim, pois se analisam as formas físicas, as plásticas realizadas, o modo de ser, como ainda o modo de vestir, principalmente os tipos de roupas, as cores da estação ou da moda, ou ainda modo de se portar, falar e locomover-se. Evidente que é importante para a pessoa estar bem apresentável e, sobre isso, dá-lhe confiança no relacionamento, pois se sente valorizada, certo que só poderiam apreciá-la. Na verdade, porém, trata-se da aparência que pode até demonstrar o bom gosto.
Todavia, isso que pode mostrar até uma boa presença, na verdade, não significa realmente a pessoa. Podemos até comentar, referir que é alguém bem apresentável, mas nada acrescentamos sobre o seu conteúdo...
Então, precisamos saber o que, de fato, qualificaria a pessoa.
O que realmente marca a personalidade é sua composição de ideias, os pensamentos que expõe, o modo de ser e de agir, a espiritualidade que revela, sintonia e respeito para com a natureza, sobretudo o trabalho social que está sempre a desenvolver a par do seu trabalho de subsistência. Essa a verdadeira presença que se destaca, que elogiamos, que valorizamos. Pode até não cuidar muito de sua aparência, não se vestir tão bem, mas a pessoa é reconhecida por suas manifestações, atitudes, trabalhos, não só o destaque dos trabalhos profissionais exercidos com responsabilidade, zelo e competência, mas principalmente também as atividades de ordem social, relacionadas com seu trabalho. Essa é a virtude de cada um que o projeta porque virtude significa beleza. É aí que se confere em todas profissões, pessoas que se destacam pelo respeito a todos os outros, como pela preocupação de que tenham seus direitos à vida respeitados. E a começar evidentemente pela saúde, pela educação, pelo trabalho assegurado e remuneração digna. Certo que é de responsabilidade fundamental da União, Estado e município os cuidados primeiros para que tudo isso ocorra dentro da normalidade.
Todavia, evidente aí, cada um de nós tem a obrigação de conferir e colaborar, nem só por simples reclamação, sim, para que todos nos empenhemos em resolver eventuais problemas. Vamos divulgar os direitos de cada um, direito à vida saudável, à liberdade de pensar e agir, respeitando-se outrem, por indispensável tolerância, E aí, com essa fraternidade é que devemos contar, agir, e exigir, e vamos contar não só com deputados e senadores, mas presidente, governadores, cônsules, servidores em geral, vereadores, como profissionais da medicina, engenharia, direito, cantores, agricultores, proteiros, dentistas, motoristas, empresários, professores, corretores, barbeiros, secretários etc. etc. Então, é por isso que conhecemos e elogiamos aqueles profissionais, aquelas pessoas que realmente são belas pelo seu modo de ser e agir. Essa é a verdadeira beleza pela qual todos nós somos maravilhados. E que beleza de pátria não seria a nossa!

Milton dos Santos Martins - Magistrado aposentado

quarta-feira, 12 de outubro de 2011

Nossa Senhora Aparecida

Há duas fontes sobre o achado da imagem, que se encontram no Arquivo da Cúria Metropolitana de Aparecida (anterior a 1743) e no Arquivo Romano da Companhia de Jesus, em Roma. A história foi primeiramente registrada pelo Padre José Alves Vilela em 1743 e pelo Padre João de Morais e Aguiar em 1757, registro que se encontra no Primeiro Livro de Tombo da Paróquia de Santo Antônio de Guaratinguetá.

A pescaria milagrosa

A sua história tem o seu início em meados de 1717, quando chegou a Guaratinguetá a notícia de que o conde de Assumar, D. Pedro de Almeida e Portugal, governador da então Capitania de São Paulo e Minas de Ouro, iria passar pela povoação a caminho de Vila Rica (atual cidade de Ouro Preto), em Minas Gerais.

Desejosos de obsequiá-lo com o melhor pescado que obtivessem, os pescadores Domingos Garcia, Filipe Pedroso e João Alves lançaram as suas redes no rio Paraíba do Sul. Depois de muitas tentativas infrutíferas, descendo o curso do rio chegaram ao Porto Itaguaçu, a 12 de outubro. Já sem esperança, João Alves lançou a sua rede nas águas e apanhou o corpo de uma imagem de Nossa Senhora da Conceição sem a cabeça. Em nova tentativa apanhou a cabeça da imagem. Envolveram o achado em um lenço.Daí em diante, os peixes chegaram em grande quantidade para os três humildes pescadores.

 Início da devoção

Durante quinze anos a imagem permaneceu na residência de Filipe Pedroso, onde as pessoas da vizinhança se reuniam para orar. A devoção foi crescendo entre o povo da região e muitas graças foram alcançadas por aqueles que oravam diante da imagem. A fama dos poderes extraordinários de Nossa Senhora foi se espalhando pelas regiões do Brasil. Diversas vezes as pessoas que à noite faziam diante dela as suas orações, viam luzes de repente apagadas e depois de um pouco reacendidas sem nenhuma intervenção humana. Logo, já não eram somente os pescadores os que vinham rezar diante da imagem, mas também muitas outras pessoas das vizinhanças. A família construiu um oratório no Porto de Itaguaçu, que logo se mostrou pequeno.

A primeira capela

Por volta de 1734, o vigário de Guaratinguetá construiu uma capela no alto do morro dos Coqueiros, com a ajuda do filho de Filipe Pedroso, que não queria construir a capela no alto do morro dos coqueiros, pois achava mais fácil para o povo entrar na capela logo abaixo, ao lado do povoado, aberta à visitação pública em 26 de julho de 1745.

Visita de Dom Pedro I

Em 20 de abril de 1822, em viagem pelo Vale do Paraíba, Dom Pedro I e sua comitiva visitaram a capela e a imagem de Nossa Senhora.

Primeira igreja (basílica velha)

Em 1834 foi iniciada a construção de uma igreja maior (a atual Basílica Velha) para acomodar e receber os fiéis que aumentavam significadamente, sendo solenemente inaugurada e benzida em 8 de dezembro de 1888.

Coroa de ouro e o manto azul

lEm 6 de novembro de 1888, a princesa Isabel visitou pela segunda vez a basílica e ofertou à santa, em pagamento de uma promessa (feita em sua primeira visita, em 08 de dezembro de 1868), uma coroa de ouro cravejada de diamantes e rubis, juntamente com um manto azul, ricamente adornado.

Chegada dos missionários redentoristas

Em 28 de outubro de 1894, chegou a Aparecida um grupo de padres e irmãos da Congregação dos Missionários Redentoristas, para trabalhar no atendimento aos romeiros que acorriam aos pés da imagem para rezar com a Senhora "Aparecida" das águas".

Coroação da imagem

A coroa doada pela Princesa Isabel.A 8 de setembro de 1904, a imagem foi coroada com a riquíssima coroa doada pela Princesa Isabel e portando o manto anil, bordado em ouro e pedrarias, símbolos de sua realeza e patrono. A celebração solene foi dirigida por D. José Camargo Barros, com a presença do Núncio Apostólico, muitos bispos, o Presidente da República Rodrigues Alves e numeroso povo. Depois da coroação o Santo Padre concedeu ao santuário de Aparecida mais outros favores: Ofício e missa própria de Nossa Senhora Aparecida, e indulgências para os romeiros que vêm em peregrinação ao Santuário.


(www.wikipedia.org )

sexta-feira, 7 de outubro de 2011

Desejo

Desejo primeiro que você ame,
E que amando, também seja amado.
E que se não for, seja breve em esquecer.
E que esquecendo, não guarde mágoa.
Desejo, pois, que não seja assim,
Mas se for, saiba ser sem desesperar.
Desejo também que tenha amigos,
Que mesmo maus e inconseqüentes,
Sejam corajosos e fiéis,
E que pelo menos num deles
Você possa confiar sem duvidar.
E porque a vida é assim,
Desejo ainda que você tenha inimigos.
Nem muitos, nem poucos,
Mas na medida exata para que, algumas vezes,
Você se interpele a respeito
De suas próprias certezas.
E que entre eles, haja pelo menos um que seja justo,
Para que você não se sinta demasiado seguro.
Desejo depois que você seja útil,
Mas não insubstituível.
E que nos maus momentos,
Quando não restar mais nada,
Essa utilidade seja suficiente para manter você de pé.
Desejo ainda que você seja tolerante,
Não com os que erram pouco, porque isso é fácil,
Mas com os que erram muito e irremediavelmente,
E que fazendo bom uso dessa tolerância,
Você sirva de exemplo aos outros.
Desejo que você, sendo jovem,
Não amadureça depressa demais,
E que sendo maduro, não insista em rejuvenescer
E que sendo velho, não se dedique ao desespero.
Porque cada idade tem o seu prazer e a sua dor e
É preciso deixar que eles escorram por entre nós.
Desejo por sinal que você seja triste,
Não o ano todo, mas apenas um dia.
Mas que nesse dia descubra
Que o riso diário é bom,
O riso habitual é insosso e o riso constante é insano.
Desejo que você descubra ,
Com o máximo de urgência,
Acima e a respeito de tudo, que existem oprimidos,
Injustiçados e infelizes, e que estão à sua volta.
Desejo ainda que você afague um gato,
Alimente um cuco e ouça o joão-de-barro
Erguer triunfante o seu canto matinal
Porque, assim, você se sentirá bem por nada.
Desejo também que você plante uma semente,
Por mais minúscula que seja,
E acompanhe o seu crescimento,
Para que você saiba de quantas
Muitas vidas é feita uma árvore.
Desejo, outrossim, que você tenha dinheiro,
Porque é preciso ser prático.
E que pelo menos uma vez por ano
Coloque um pouco dele
Na sua frente e diga "Isso é meu",
Só para que fique bem claro quem é o dono de quem.
Desejo também que nenhum de seus afetos morra,
Por ele e por você,
Mas que se morrer, você possa chorar
Sem se lamentar e sofrer sem se culpar.
Desejo por fim que você sendo homem,
Tenha uma boa mulher,
E que sendo mulher,
Tenha um bom homem
E que se amem hoje, amanhã e nos dias seguintes,
E quando estiverem exaustos e sorridentes,
Ainda haja amor para recomeçar.
E se tudo isso acontecer,
Não tenho mais nada a te desejar .


(Victor Hugo)

Tédio

Descobri que estou entendiado, sem entusiasmo. Você disse para nos aceitarmos do jeito que somos. Não consigo aceitar a vida, sabendo que, ...