sexta-feira, 30 de setembro de 2011

Miguel Arcanjo

Ele é considerado o mais importante de todos os Anjos na tradição cristã, judia e islâmicas. Nestas três tradições, Miguel trabalha incansavelmente a fim de criar um mundo de paz e harmonia. Ele é o chefe e protetor daqueles que buscam ter Deus em suas vidas.

Miguel é o único arcanjo mencionado pelo nome nos textos religiosos do Judaísmo e do Islamismo, assim como na Bíblia.

O nome Miguel foi interpretado de várias maneiras. Pode significar "que é como Deus", "quem é semelhante a Deus?" ou "quem é semelhante ao Senhor". Eles revelam a sua importância, utilizando nomes diferentes, Miguel assistiu a humanidade desde o princípio.

Ele é conhecido como INDRA no Rio Veda indiano, VAHMAN na enciclopédia Denkard persa, MARDUK na Epopéia Babilônica da criação e APOLO no Hino de Homero a Apolo. Foi associado também ao Deus egípcio Anúbis, que "pesava almas".

Assim conta a Bíblia que... quando Lúcifer, recusava submeter-se e adorar a Deus, e, como resultado, Miguel o expulsou do céu com seus seguidores. A batalha entre o dragão e Lúcifer pode ser encontrada no Apocalipse (12:7-17).

Uma lenda antiga diz que Miguel acorrentou os anjos derrotados no meio do ar até o Dia do Julgamento. Então Deus recompensou-o com a permissão de receber as almas imortais enquanto entravam no céu. Miguel pesa estas almas para avaliar suas boas e más ações.(salmo 62:9, Daniel 5:27)

Desde o século V, os romanos comemoram no dia 29 de Setembro o Dia de Arcanjo Miguel e também a igreja Católica comemora neste dia o Dia de Todos os Anjos.

sábado, 17 de setembro de 2011

O Navio negreiro, tragédia no mar VI

Existe um povo que a bandeira empresta
Pr'a cobrir tanta infâmia e cobardia!...
E deixa-a transformar-se nessa festa
Em manto impuro de bacante fria!...
Meu Deus! meu Deus! mas que bandeira é esta,
Que impudente na gávea tripudia?!...
Silêncio!... Musa! chora, chora tanto
Que o pavilhão se lave no teu pranto...

Auriverde pendão de minha terra,
Que a brisa do Brasil beija e balança,
Estandarte que a luz do sol encerra,
E as promessas divinas da esperança...
Tu, que da liberdade após a guerra,
Foste hasteado dos heróis na lança,
Antes te houvessem roto na batalha,
Que servires a um povo de mortalha!...

Fatalidade atroz que a mente esmaga!
Extingue nesta hora o brigue imundo
O trilho que Colombo abriu na vaga,
Como um íris no pélago profundo!...
...Mas é infâmia de mais... Da etérea plaga
Levantai-vos, heróis do Novo Mundo...
Andrada! arranca este pendão dos ares!
Colombo! fecha a porta de teus mares!

Antônio Frederico de Castro Alves





Razão

O tempo é o senhor da razão, mas Deus é o senhor de todas as coisas...

sexta-feira, 9 de setembro de 2011

O oportunista

O oportunista tira vantagem de sua chantagem mental para alcançar o que quer. O oportunista aproveita as oportunidades normalmente sem preocupações éticas. É a oportunidade em pessoa e faz uso da boa vontade ou ingenuidade dos outros para atingir os seus fins lucrativos. É conveniente e está sempre à altura da ocasião mais favorável. Aproveita-se do momento e faz da artimanha a sua arma preferida. Recorre à mentira como quem respira e faz do ensejo momentâneo a sua oportunidade, servindo-se da fraqueza dos outros e de sua ingenuidade. É caprichoso e tem uma necessidade física que o impele à oportunidade.

A oportunidade é uma faculdade comum aos homens pelo qual o espírito se inclina a uma acção. O oportunista é falso e não tem sentimentos de culpa, quanto a isso e à sua maneira de agir desleal. É fingido e simulado para além de traidor e não verídico. Espera a sua presa com tranquilidade assustadora e quando o momento chega, está sempre em cima dos acontecimentos. O oportunista é bem-falante e é sabedor de sua “profissão”, como mais ninguém.
É dissimulado e tem boa aparência física, veste-se bem e sabe esperar pelo seu momento, que é sempre o mais oportuno.
Aparente e enganoso, tem sempre um sorriso nos lábios e sabe usar de cortesia.
Leva os outros ao engodo prometendo-lhes o que não tem mas fazendo crer que é possuidor daquilo que apregoa. É suposto e nunca diz a verdade não se afligindo por isso, aliás, tal facto, deixa-o convencido de sua faceta menos clara e imprópria. Tira proveito do seu disfarce à semelhança de quem necessita de uma ajuda, que vem sempre de uma pessoa imprudente e desprevenida, que vai no conto do vigário, inocentemente e sem malícia. O oportunista é esperto e sagaz compreendendo a sua oportunidade assim que esta se lhe depara.

Estuda os movimentos dos outros com perspicácia e nunca deixa fugir a sua vitima, estando de sobrolho. O único esforço de que dispõe é o estar atento ao que se passa à sua volta, qual abutre a rondar o cadáver. É um ladrão de sonhos por excelência, e goza do seu estatuto oculto para trazer as pessoas ao prejuízo. O oportunista causa danos irreparáveis dos quais é difícil de sair. Há os que perdem tudo, indo na conversa do oportunista, que se congratula pela sua esperteza e agudeza de espírito. Oferece as pessoas ao sacrifício como num ritual religioso. É prudente e age em conformidade.

Nunca se põe em causa nem à sua vida, usando da difamação para se livrar de algum imprevisto… vitimizando-se. Sujeita as outras pessoas à tirania de seu carácter improvável. É um criminoso altamente qualificado e faz jus disso mesmo para atingir os seus fins lucrativos. O oportunista anda sempre sozinho, sentado nalguma explanada, a observar atentamente as suas vítimas, que nunca desconfiam de nada, entregando-se à benesse do oportunista, que cuida bem do incauto. O oportunista leva vantagem de sua esperteza e inteligência, perante os demais. Não concebe a derrota como uma coisa possível de acontecer.

Jorge Humberto
06/08/10

Tédio

Descobri que estou entendiado, sem entusiasmo. Você disse para nos aceitarmos do jeito que somos. Não consigo aceitar a vida, sabendo que, ...